terça-feira, 16 de março de 2010

Introdução ao Transtorno Bipolar

Foi muito feliz a substituição do termo “Psicose Maníaco-Depressiva” por “Transtorno Afetivo Bipolar”, nas classificações oficiais. Ninguém gostaria de ser chamado de psicótico, mas o problema inverso hoje, é que é fácil, se não até chique, dizer-se portador de distúrbio bipolar. Para isso basta acessar um site qualquer da internet, e responder um questionário. Por isso vivemos hoje, uma verdadeira epidemia de diagnósticos excessivos. Toda semana alguém me chega com o diagnóstico pronto, mas errado. Isso é compreensível, pois o distúrbio bipolar se caracteriza geralmente pela ocorrência de fases depressivas e fases de humor exaltado, uma ciclotimia exacerbada. Todos nós podemos passar por períodos de baixo-astral e depois nos sentirmos bem, felizes, realizados. E nos identificamos com essa alternância de estados de humor.
O distúrbio bipolar vai muito além dessa alternância, por vezes chegando até a perda de contato com a realidade, com condutas de risco para o paciente e seus próximos. Não gosto muito de enumerar os sintomas, para não induzir uma falsa percepção, mas em oportunidade futura poderei detalhar melhor aspectos da doença, com exemplos ilustrativos.

5 comentários:

  1. Evidencias apontam que ainda não se conhecem as causas? hoje o diagnóstico é baseado somente em sintomas que o paciente apresenta ?

    ResponderExcluir
  2. soraya Abreu16 março, 2010

    Evidencias apontam que ainda não se conhecem as causas? hoje o diagnóstico é baseado somente em sintomas que o paciente apresenta ?

    ResponderExcluir
  3. Cara Soraya, o diagnóstico dos transtornos mentais é eminentemente clínico. Para determiná-lo, não existem exames laboratoriais que sejam necessários.

    ResponderExcluir
  4. O que teria sido de mim, sem dr. Mauricio?
    Uma das pessoas mais caras da minha vida.

    ResponderExcluir
  5. Oi ! É comum o Transtorno Bipolar em pacientes com hiv ? Tenho o hiv e percebo um comportamento meio estranho em muitos soropositivos relacionado ao humor. Você sabe dizer se o coquetel entre outros fatores como depressão, preconceito, isolamento, medo etc provoca isso.? Bem, eu tenho meu remédio particular que descobrir e não tem efeito colateral que uso contra tudo isso. A música (eu estudo piano classico) e me ajuda em todos os aspectos de minha vida inclusive assimilar outras disciplinas como o apredizado de novas linguas.
    Att:
    Roni

    ResponderExcluir