segunda-feira, 30 de janeiro de 2012

Pacientes que não tive 31: Carlos Heitor Cony




Estive pensando sobre o que levaria uma pessoa a se atribuir o título de “imortal”. Entre algumas respostas interessantes, encontrei o fato de ela pertencer a um grupo no qual seus membros assim se proclamam, como a Academia Brasileira de Letras (ABL). De acordo com seu estatuto original, elaborado por Machado de Assis e Olavo Bilac, em 1897, ano de sua criação, a ABL tem como objetivo, “o cultivo da língua e da literatura nacional”. Para se tornar um imortal, de acordo com o mesmo estatuto, o indivíduo deve ter publicado “obras de reconhecido mérito, ou livros de incontestável valor literário”. Nas sessões solenes, nas quais vestem seus fardões bordados a ouro, os imortais ainda vivos se valem de seus notórios conhecimentos, para escolher novos imortais para ocuparem vagas dos imortais que morreram. Essas sábias escolhas não elegeram autores brasileiros notáveis como Vinícius de Moraes (um crime), Monteiro Lobaro, Carlos Drummond de Andrade, Lima Barreto, Cecília Meireles, Clarice Lispector e Erico Veríssimo. Os nobres membros da ABL, consideraram de maior valor as obras literárias de Ivo Pitanguy (cirurgião plástico que é referência mundial ...em medicina), Santos Dumont, José Sarney (escritor medíocre, mas “coronel” nordestino que intimida muita gente), Assis Chateaubriand (magnata das comunicações), Roberto Marinho (líder das organizações globo), acreditem: Getúlio Vargas; e o pior de todos: Paulo Coelho, campeão de vendas de lixo literário.
Carlos Heitor Cony, ocupa desde o ano 2000 a cadeira de número três. Conheço-o por ser assinante do Jornal Folha de São Paulo, onde ele escreve quase todos os dias. Foi lá que tomei conhecimento de sua acidez, seu mau-humor crônico, sua desesperança. É um homem idoso com um olhar amargurado sobre a vida. Não conheço (nem quero conhecer) sua biografia, sua trajetória pessoal, para que ele terminasse assim, tão pessimista e destrutivo. Um homem idoso repetindo diariamente aos leitores de todas as idades que a vida não é boa, que não tem beleza, que não vale ser vivida, a meu ver não deveria ganhar um espaço tão grande num jornal como a Folha. Entre as coisas bizarras que escreveu, encontra-se: “Nos passos de João de Deus”, estranha mistura de biografia, detalhamento de viagens e tributo deslumbrado a João Paulo 2°. Incômoda contradição de uma mente perturbada. Por um lado, adoração incondicional de um Papa muito mais “político”, do que “religioso”. Por outro lado, falta de amor à vida e à beleza, falta de entusiasmo pela juventude, tristeza e desesperança crônicas.
Um homem que deixou de acreditar em Deus, por causa do resultado de um jogo de futebol... mas idolatra Papas. Pois é, se a vida parece ser ruim, sua imortalidade, que elimina o suposto alívio da morte, a torna insuportavelmente pior. Sua amargura deve ser o motor que o leva a pronunciar repetidas inverdades sobre Inri Cristo, que é seu oposto: um exemplo de esperança, de vida, alegria. Muitos alegam que Inri Cristo, ao frequentar programas humorísticos ou de entrevistas, não é um homem sério. Entendo esta situação de uma maneira diversa. Essa é uma forma inteligente e descontraída de ser conhecido pelo público jovem, levando sua mensagem de amor, esperança e otimismo, tudo o que falta nas colunas amargas de Cony. Muito menos sérios são os critérios de escolha dos imortais da ABL. 

11 comentários:

  1. Adorei sua crítica, acho que ABL não é séria. Tem gente lá que não tem nada haver. Abraço Cynthia

    ResponderExcluir
  2. perfeito, caro Maurício. Parabéns.

    Mário Chimanovitch

    ResponderExcluir
  3. Cony reverenciar o futebol dessa maneira, já faz dele mais um idiota, e a ABL é um antro de homens que não os vi mudar o mundo para melhor, nem a educação; e cujos nomes ali, estão a fazê-los com que cultivem e massageiem seus superegos.

    ResponderExcluir
  4. MOTIVOS PARA NÃO CRER EM DEUS: O futebol, ou...

    Elie Wiesel, é um judeu nascido na Roménia a 30 de Setembro de 1928. Aos 15 anos é deportado para Auschwitz e depois para Buchenwald.
    Hoje, escritor e uma das principais testemunhas do HOLOCAUSTO. Em um de seus relatos conta que ocorreu a execução na forca de uma criança de 6 anos, os demais prisioneiros eram obrigados a assistir, devido ao pouco peso a criança agonizou por quase duas horas. Ao final da execução um dos prisioneiros falou: Se Deus pode impedir isto e não o faz, é tão monstruoso em sua indiferença quanto os nazistas; se quer impedir e não o faz é porque não é todo poderoso. A partir de hoje não creio mais em DEUS.
    Zito.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Um argumento e tanto... que dilema! Ou Deus não é bom, ou não tem competência...

      Excluir
  5. O texto faz muito sentido.Infelizmente muitos se preocupam com títulos e acham que estes são diferenciais na vida;mas muitas vezes não acrescentam nada.Principalmente se não for a pessoa que conduza ,este tal título, e, o mesmo que a conduza ...Por isso que não se deve ficar preso em teorias e muito menos regras ditadas por outros,ou idolatrar artistas,jogadores,famosidades instântaneas com suas plásticas, silicones e tudo mais de artificial que possa vir junto.E devemos sim fazer opção por ler e assistir conteúdos que nos acrescentem e não o contrário.Mas,muitos que se prendem a títulos e outros ,pensam que o que essas pessoas falam é lei,está certo e se for moda ou tendência ;aí então muitos vão atrás.

    Quanto a questão recente ,sobre o dilema,fiquei pensando : seria uma ótima pergunta para se fazer ao seu amigo -Inri .E acredito que o mesmo ficará muito feliz e honrado em poder participar e nos explicar estes dilemas;que muitas vezes não temos resposta.Mas,por outro lado,me fez lembrar de um conto não me lembro a origem agora. Que dizia que dois garotos foram conversar com um mestre muito sábio e um combinou com o outro algo.Querendo testar a sabedoria do seu mestre,disse ao seu amigo : vou levar um pássaro na minha mão e perguntar ao mestre se ele está vivo ou morto.O outro disse ,mas como vc saberá o que o mestre irá responder ? para dizer que vai pega-lo ? O amigo disse ,fácil,se ele disser que o mesmo está vivo,mato na hora; se disser que está morto deixo o viver...E foram ao encontro do mestre.
    Chegando lá ...o mestre estava sereno,mas com um semblante um pouco triste,pois sempre recebia a todos com um sorriso...e disse : oi meu rapaz !
    Vc queria falar comigo ? o rapaz,então,falou :
    Trago um pássaro nesta minha mão direita (um filhote )mostrando o dorso de sua mão.E gostaria que o mestre me dissese se ele está vivo ou morto ? EnTão,o mestre olhou bem fundo dos seus olhos e disse :

    Esta resposta depende exclusivamente de vc meu filho;a vida dele está em suas mãos...

    Não temos, muitas vezes, respostas para os sofrimentos,desigualdades,injustiças,violências...Mas,às vezes não entendemos que uma vez que nos foi dado, o livre arbitrio; os homens mesmo é que criam muitas destas violências,sofrimentos uns aos outros ...O por quê de não poder talvez ali acontecer algum milagre ou alguém tentar impedir ou por quê de permitir seu pro'prio filho morrer numa cruz;tbém são questões de grandes dilemas ...E quem sabe : Inri não possa falar sobre estas coisas e esclarecer,clarear tantos dilemas e nos ajudar a encontrar um pouco mais de sentido àquilo que muitas vezes nos parece sem sentido ?

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Desejamos que haja SENTIDO, que a vida tenha um propósito, ai está o grande SUCESSO de tudo que nos oferece recompensa para o sofrimento terreno em outra vida após a morte, ou em outra encarnação (vida). Necessitamos de proteção e principalmente de CONSOLAÇÃO, criamos a possibilidade de vida transcendental e divindades que nos consolem e protejam. Estamos aqui por acaso, e estamos sós, mas temos que viver da forma mais ética possível.
      Abraço Dr. Maurício e demais membros...
      Zito.

      Excluir
    2. Vc disse tudo, Zito.
      Por isso que a psicanálise parece tão cruel. As teorias de Darwin e Freud, causam repulsa exatamente por colocarem o acaso no centro da questão, retirando qualquer sentido ou propósito na vida, contrariando nossos desejos mais primitivos de proteção, consolo e aconchego.
      Segundo eles, não é que o mundo seja mau, mas indiferente ao sofrimento das criaturas.
      Abç

      Excluir
    3. A perda de STATUS do homem e da sua casa (planeta) nos últimos 500 anos foi significativo. A terra era o centro do universo e o homem era O FILHO DE DEUS. Vieram, Copérnico, Darwin e Freud, e tudo mudou. A terra é apenas uma periferia do universo, o homem é apenas "mais um" produto da evolução, e nosso comportamento é (pelo pouquíssimo que conheço de Freud) em grande parte ditado pelo inconsciente.
      E olhe que estes tres não imaginavam que em pleno século XXI estaríamos assistindo BBB e dançando FUNK !!! rs..rs..rs...
      Abç....Zito.

      Excluir
  6. Segue uns vídeos :

    http://www.youtube.com/watch?v=QS-ZzjN81Wk&feature=related

    http://www.youtube.com/watch?v=9f75ktvvPTY

    Abraço.Luz

    ResponderExcluir
  7. taí, gostei pra caramba, alguém tinha que dizer isto! Já favoritei o blog!

    ResponderExcluir